sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

As Bicicletas de Belleville

Quem disse que com uma simples estória não se faz um excelente filme? Nos últimos anos, desenhos animados ou animações computadorizadas são gêneros que, graças a simplicidade e a criatividade, têm transformado o grão de areia em pérola! Um exemplo disso é o desenho francês “As Bicicletas de Belleville”, uma singela animação em 2D que conta a divertida jornada de uma adorável vovó em busca de seu neto raptado.
 
Adotado por sua avó, Madame Souza, o garoto Champion é uma criança tímida, inocente e solitária que, após ter ganhado uma bicicleta quando menino, descobre a paixão pelo ciclismo. Com o passar dos anos e com rigorosos treinamentos impostos pela avó, Champion tornar-se um profissional das duas rodas. Durante o famoso circuito de corridas de bicicleta francês, o Tour de France, ele é sequestrado por dois homens misteriosos, o que faz Madame Souza e seu fiel cachorro Bruno cruzarem as fronteiras do oceano em sua busca para tentar resgatá-lo.
 
“As Bicicletas de Belleville” é sensacional! Méritos para o roteirista e diretor estreante Sylvain Chomet, que criou um universo charmoso e criativo espelhado no cinema mudo que apresenta uma mistura de raros diálogos, trilha sonora contagiante e gags ao estilo Jacques Tati. Além da simples estória que exibe uma trama envolvente, o encanto, certamente, está no gráfico em 2D que diverte o espectador ao exibir traços caricaturados das feições humanas e dos nostálgicos ambientes com cores leves. Vide a cidade de Belleville que é uma inteligente sátira a Nova Iorque e sua população de gordinhos.
 
O roteiro, sempre harmonizando drama e um delicioso humor negro, é rico em detalhes visuais ao enfocar e criticar estilos de vida e ao expor interessantes costumes e ideias que são utilizados na dinâmica entre os personagens. A principal peça para as interações na estória é Madame Souza, que tem um jeitinho especial de se comunicar ou de se impor, principalmente na relação que tem com as trigêmeas de Belleville, cantoras de cabaré famosas dos anos 30 que ajudam a avó na procura por Champion.
 
“As Bicicletas de Belleville”, indicado ao Oscar em duas categorias (Melhor Animação e Canção), é uma grata surpresa e consegue ser cativante ao ponto de querermos rever diversas vezes. Além disso, o filme prova que desenhos em 2D ainda têm muito espaço e criatividade ilimitada na modernidade cinematográfica.
 
As Bicicletas de Belleville (Les triplettes de Belleville)
FRA/BEL/CAN/ING, 2003 – 78 minutos.
Animação
Direção: Sylvain Chomet
Roteiro: Sylvain Chomet
Vozes: Betty Bonifassi, Lina Boudreault, Michèle Caucheteux, Jean-Claude Donda, Mari-Lou Gauthier, Charles Linton, Michel Robin, Monica Viegas
Trailer: clique aqui
Cotação: * * * * *