sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Os Agentes do Destino

Adaptação do conto The Adjustment Team (1954), de Philip K. Dick, “Os Agentes do Destino” tem uma premissa que não é novidade no cinema atual, mas pode agradar boa parte do público que se interesse pelos temas ‘acaso’ e ‘destino’. Não se estranhe caso perceba alguma semelhança teórica com “Matrix”, que recicla algumas ideias sobre os assuntos citados e as exibe de maneira romântica e sensivelmente atraente.
 
Depois que o congressista David Norris (Matt Damon) se deparou, inesperadamente, com a bailaria Elise Sellas (Emily Blunt), ele é abordado por agentes (que ajudam a controlar o destino das pessoas) que afirmam que seu encontro com Elise não era para ter acontecido. Ao desprezar o que lhe foi dito, Norris acredita que Elise possa ser seu grande amor e passa a procurá-la, mas, paralelamente, os tais agentes trabalham para que um novo encontro não aconteça.
 
O filme é uma ficção científica, nada futurista, travestida de romance que oferece ao espectador um conteúdo abrangente e reflexivo de essência ‘matrixiana’ em seu roteiro (agentes, manipulação e portas que se abrem para lugares desconexos). Em um ritmo sempre harmonioso, a trama trabalha bem a questão do livre arbítrio nas decisões do protagonista, o principal fio condutor que prende a atenção do espectador por seu mistério, sobretudo, pelos acasos provocados pelos agentes do título.
 
A reflexão proposta pela narrativa é de grande valia, principalmente quando recorremos à realidade para associarmos algum tipo de trajetória. E esse é o objetivo do longa, que nos faz pensar sobre as escolhas que fazemos durante o percurso de nossa vida até o destino final, o que transforma o filme em um exercício sobre as coisas imperceptíveis que acontecem com o ser humano e que carecem de valor e compreensão.
 
No fim das contas, “Os Agentes do Destino” tem lá sua previsibilidade romântica que pode não ser impactante em sua conclusão, mas isso não tira o mérito da história que foi bem realizada (não digo bem adaptada porque não li o conto de Philip K. Dick) pelo diretor e roteirista George Nolfi e bem interpretada por Matt Damon e Emily Blunt.
 
Os Agentes do Destino (The Adjustmen Bureau)
EUA, 2011 - 106 minutos
Ficção científica / Romance
Direção: George Nolfi
Roteiro: George Nolfi, Philip K. Dick
Elenco: Matt Damon, Emily Blunt, Anthony Mackie, John Slattery, Michael Kelly, Terence Stamp
Cotação: * * * * *