segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Oscar 2012: homenagem ao cinema e aos artistas

A 84ª edição do Oscar estava determinada em consagrar alguma obra saudosista e nada mais justo que homenagear Hollywood ao premiar “O artista”. E foi ele quem guerreou com cavalos de Spielberg e superou histórias que cruzaram com descendentes de homens que queriam surpreender no jogo de indicações.

Nem mesmo a invenção de Hugo Cabret conseguiu impedir o triunfo daquele astro que deixou Paris à meia noite para ficar tão forte tão perto da estatueta dourada. Os metidos a favoritos Brad Pitt e Martin Scorsese tentaram mudar a opinião dos jurados nas categorias de ator e diretor, respectivamente, mas o prêmio foi concedido para outros artistas: Jean Dujardin e Michel Hazanavicius.


Até o espião Gary Oldman já sabia quem venceria nesses quesitos e, inclusive, também sabia que não tinha ninguém para vencer a maquiagem. Sem falar na candidata de peso Meryl Streep que ferrou outras quatro damas ao abocanhar o seu terceiro Oscar.


E não teve macacos, equinos, robôs e bruxos que impediram a fome de Hugo Cabret, que ‘rangou’ 5 belos e barulhentos Oscars técnicos. Falando em “Rango”, o animado camaleão bateu gatos, pandas, “Chico & Rita”, ao contrário da Arara azul brasileira que perdeu a voz para os Muppets, que cantaram melhor que a dupla tupiniquim Carlinhos Brown e Sérgio Mendes.


“Os descendentes”
se adaptaram melhor ao roteiro do Oscar, mas foi Woody Allen o mais original da noite. O famoso cineasta deixou para trás a madrinha de casamento, se separou do artista hollywoodiano e foi madrugar em Paris dos anos 20 para buscar inspiração para escrever sua premiada história.


Enfim, nem sempre a justiça no Oscar vem à cavalo ou é belamente colorida como a árvore da vida de Terrence Malick. Talvez, por isso, alguns homens não amam o evento e preferem ficar “Anonymous”. Afinal de contas, tudo pelo poder do marketing pode gerar ações que acontecem no lado oculto dos bastidores, nem que seja para forçar uma vitória da injustiça.


Principais ganhadores:

O artista (5 Oscars: filme, direção, ator, trilha sonora e figurino)
A invenção de Hugo Cabret (5 Oscars: direção de arte, fotografia, edição de som, mixagem de som e efeitos visuais)
A dama de ferro (2 Oscars: atriz e maquiagem)
Meia noite em Paris (1 Oscar: roteiro original)
Os descendentes (1 Oscar: roteiro adaptado)
Histórias cruzadas (1 Oscar: atriz coadjuvante)
Beginners (1 Oscar: ator coadjuvante)
A separação (1 Oscar: filme estrangeiro)
Os homens que não amavam as mulheres (1 Oscar: edição)
Rango (1 Oscar: animação)