quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Shrek para sempre

Em 2001, “Shrek” surgiu com humor politicamente incorreto que brincava com os tradicionais contos de fadas. “Shrek 2” ampliou com qualidade a idéia principal, ao contrário de “Shrek terceiro”, que deixou a desejar no aspecto de roteiro. Já “Shrek para sempre” recicla os clichês do original e finaliza a série de maneira positiva com bela mensagem para a criançada.

Estressado e cansado do dia-a-dia, Shrek surta e pede a um ‘duende feiticeiro’ sua velha vida no pântano de volta. Como se não bastasse, o ogro tem o seu desejo realizado, porém de maneira traiçoeira, já que o tal duende apaga seu nascimento, o que faz ele não ter salvado a princesa Fiona e nem ter conhecido o burro e outros personagens.

Para o ogro tentar reverter a situação, entra em cena os clichês ‘de volta ao passado’ e ‘reconquistar o amor’. Mesmo com o argumento convencional trabalhado em uma trama previsível, o longa não decepciona pelo ‘conjunto da obra’, mesmo investindo em um clímax irrepreensível com lição de moral para a gurizada.

Apesar do ‘lugar-comum’, a atmosfera paródica de Shrek segue a cartilha da série ao manter a criatividade visual, as referências cinematográficas e as piadas situacionais, que poderiam ser melhores. Além de apresentar novas figuras, o bom ritmo, a curiosidade de ver uma realidade diferente do monstrengo e momentos paralelos não vistos no primeiro filme prendem a atenção do espectador.

Não podemos esperar muita coisa de uma continuação que traz elementos triviais utilizados em toda a série. O roteiro e a premissa poderiam ser mais inteligentes como nos primeiros filmes, mas não atrapalham a diversão desta quarta e, possivelmente, última sequência.

Shrek para sempre (Shrek Forever After)
EUA, 2010 - 93 minutos
Animação / Infantil
Direção: Mike Mitchell
Roteiro: Josh Klausner, Darren Lemke
Elenco: Mike Myers, Eddie Murphy, Cameron Diaz, Antonio Banderas, Julie Andrews, John Cleese, Jon Hamm, Jane Lynch
Cotação: * * *