sábado, 14 de julho de 2012

Precisamos falar sobre o Kevin

Se alguém assistir “Precisamos falar sobre o Kevin” e disser que tem cara de “A profecia”, serei o primeiro a concordar com tal análise. Não é exagero lembrar-se do longa de terror que fala do nascimento de um anticristo. O tal Kevin, aqui, também consegue ser bastante perturbador, o que faz desta tragédia familiar ser inquietante ao extremo.

A narrativa, baseada em best seller homônimo de Lionel Shriver, fala de uma mãe que não consegue se dar bem com o filho que a maltrata de todas as formas. O que deixa o espectador ligado ao filme é o drama que Eva (Tilda Swinton – no melhor desempenho da carreira) passa após ser rejeitada pela sociedade por causa das ações de seu filho Kevin (Jasper Newell como o personagem ainda criança e Ezra Miller em sua fase adolescente – ambos estão excelentemente assustadores).

O longa é contado de uma maneira não linear intercalando momentos atordoantes do passado, presente e futuro da vida de Eva. Apesar da desordem temporal, a eficiente edição nunca deixa o ritmo cair, o roteiro desenvolve bem as situações dramáticas – assim como os personagens –, e a curiosidade em relação aos atos comportamentais dos protagonistas mantém a atenção do público até o final.

Os momentos de ostracismo de Eva, os mistérios que contornam a má conduta de Kevin e seu olhar intimidador, seja na infância hostil ou na assustadora adolescência que faz de tudo para destruir o sentimento materno, são provocadores em todos os sentidos. O problema familiar ainda vai mais além, quando o pai do menino, interpretado pelo ótimo John C. Reilly, se mantém passivo (e amável) frente às adversidades.

A desgraça sentimental e a atmosfera depressiva (muito bem arquitetada pela diretora Lynne Ramsay), principalmente quando acontece o forte clímax, podem ser revoltantes. Qualquer reação após o filme é válida, até mesmo um palavrão aos protagonistas pode conter a moral adequada em relação ao entendimento de cada um, seja para referenciar o garoto encapetado ou no intuito de sentir pena ou, até mesmo, para criticar a personalidade de Eva.

Só não sabemos se o tal Kevin merece a visita da Super Nanny ou de um padre exorcista! Impossível deixar de refletir.

Precisamos falar sobre o Kevin (We Need to Talk About Kevin)
EUA / Reino Unido, 2011 - 112 minutos
Drama
Direção: Lynne Ramsay
Roteiro: Lynne Ramsay, Rory Kinnear
Elenco: Tilda Swinton, Ezra Miller, John C. Reilly, Jasper Newell
Trailer: clique aqui
Cotação: * * * * *