quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Apollo 18 – A missão proibida

Uma ‘farsa’ tem sido bastante utilizada no cinema para impressionar o público ao exibir algo como se fosse real. E há quem acredite, tanto no marketing como no momento da exibição, nessas produções que dizem ter editado ‘gravações perdidas de situações verdadeiras’. “Apollo 18 – A missão proibida” é mais um longa que aproveita esse argumento para assustar o espectador, mas é pouco convincente em relação a sua proposta.
 
O filme começa em tom de ‘teoria da conspiração’ e faz o espectador acreditar que houve a tal missão Apollo 18 à Lua nos anos 70. As imagens, com autenticidade negada pela NASA, são das câmeras acopladas nos astronautas e nas cápsulas lunares que captam as situações e induzem o espectador a acreditar na tal missão que culmina em suspense alienígena.
 
A estrutura narrativa de “Apollo 18” não é novidade. O estilo documental sem uso de trilha sonora que simula histórias reais já foi trabalhado em “A Bruxa de Blair”, “Cloverfield”, “[REC]” e “Atividade Paranormal”. A utilização dessa técnica pode ser interessante pelo realismo dos fatos propostos, da interação do filme para com o espectador e da atmosfera do suspense, mas, também, pode ser uma experiência cansativa mesmo que tenha um enredo atraente.
 
Se a proposta é simular algo real, o filme nos força a comparar os fatos exibidos com a lógica na realidade. É aí que a tal farsa se revela na forma de furos no roteiro: fatos históricos obscuros e desconhecidos; elementos alienígenas lunares; a falta de uma explicação melhor de como conseguiram resgatar as tais filmagens para serem apresentadas no cinema e os movimentos e posições das câmeras que, em certos momentos, parecem não serem controladas pelos astronautas.
 
Ainda que tenha um clímax longe do 'politicamente correto' e alguns bons sustos, o estilo narrativo pode incomodar pela precariedade das imagens trêmulas (propositais para parecerem reais) e pelo ritmo cansativo que demora a desenvolver a trama até o ponto que interessa: o suspense. Se o filme não tendesse tanto para o estilo documental para disfarçar a falta de orçamento, talvez “Apollo 18” tenha tido melhor aceitação, porém se o espectador conseguiu sentir algum tipo de emoção, então a estratégia de seus realizadores deu certo!
 
Apollo 18 – A missão proibida (Apollo 18)
EUA, 2011 - 88 minutos
Ficção científica / Suspense
Direção: Gonzalo López-Gallego
Roteiro: Brian Miller, Cory Goodman
Elenco: Warren Christie, Lloyd Owen
Cotação: * *