quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Contra o Tempo

Filmes que abordam viagens temporais, geralmente, são atrativos e curiosos, já que ficamos na expectativa de vermos o heroi tentar contornar situações voltando ao passado. “Contra o Tempo” recicla essa narrativa e diverte o espectador por seus clichês bem aplicados à trama.
 
O capitão Colter Stevens, interpretado por Jake Gyllenhaal, faz parte de um programa experimental do governo norte-americano que o envia ao passado para tentar evitar um atentado terrorista em um trem de passageiros. A cada missão fracassada, ele ‘viaja pelo tempo’, sempre oito minutos antes de uma grande explosão, até conseguir uma maneira de identificar o criminoso e impedir a tragédia.
 
A história brinca com o passado e o relógio como em “Feitiço do Tempo” e “Efeito Borboleta”, combate o terrorismo ao estilo “Déjà Vu” e tem pitatas de manipulação de realidade que lembra “Matrix”. A partir das idéias dessas referências da ficção científica, o roteiro insere clichês bem arranjados no enredo e prende a atenção do espectador com ação em ‘tempo real’ sem cair na redundância.
 
“Contra o Tempo” também se destaca no mistério, principalmente na localização real em que o heroi se encontra e nas investigações de sua missão, o que proporciona uma atmosfera tensa, intrigante e quase paranóica bem conduzida pelo filho de David Bowie, Duncan Jones (“Lunar”).
 
Pena que o filme se ‘descarrila’ logo após seu terceiro ato, o que deixará os espectadores com pulgas atrás da orelha com o clímax confuso e convencional. No geral, “Contra o Tempo” não decepciona e cumpre o que promete: muita correria e diversão.
 
Contra o Tempo (Source Code)
EUA, 2011 - 93 minutos
Aventura / Ficção Científica
Direção: Duncan Jones
Roteiro: Ben Ripley
Elenco: Jake Gyllenhaal, Michelle Monaghan, Jeffrey Wright, Vera Farmiga.
Cotação: * * *