segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Déjà Vu

Filmes que brincam com o tema ‘viagem no tempo’ geralmente são interessantes por suas engenhocas e explicações fantásticas. Em “Déjà Vu”, dirigido por Tony Scott e protagonizado pelo carismático Denzel Washington, não é diferente ao reciclar o assunto com base em um thriller policial que garante diversão de primeira.
 
A premissa é atraente e lembra “Minority Report – A Nova Lei”, porém o 'elemento de ficção' é inverso ao filme de Spielberg. Ao invés de visualizarmos o futuro por meio de ‘videntes’, em “Déjà Vu” é uma super máquina que capta cenas do passado recente em 'tempo real’ para desvendar o culpado da explosão de um barco que matou centenas de pessoas, incluindo a mocinha do cartaz, em Nova Orleans, pós furacão Katrina.
 
A história começa de maneira trivial ao mostrar a tragédia do vilão sucedida de investigações sobre o atentado terrorista. À medida que as descobertas vão sendo reveladas, o ritmo vai ficando mais intenso, principalmente quando o protagonista volta ao passado para tentar evitar a catástrofe.
 
Como é de praxe nessa temática, não há como o roteiro fugir de clichês e furos que desafiam as leis da física. Além da misteriosa ‘máquina do tempo’, o longa deixa alguns detalhes sem explicações, como o rápido rastreamento de um objeto ‘antigo’ e o fato de estar no presente e modificar o passado sem ‘viajar’ até lá.
 
Contudo, é necessário deixar esses absurdos de lado e se divertir com sua parte técnica que oferece fotografia granulada, boas seqüências de ação, explosões espetaculares e uma edição ágil e bacana ao estilo vídeo clipe, peculiar do diretor. Apesar do clímax previsível, “Déjà Vu” é um bom entretenimento e vale uma espiada.
 
Déjà Vu
EUA, 2006 - 128 minutos
Fição científica / Suspense / Policial
Direção: Tony Scott
Roteiro: Terry Rossio, Bill Marsilii
Elenco: Denzel Washington, Val Kilmer, Paula Patton, Jim Caviezel, Adam Goldberg, Marel Medina, Erika Alexander, Bruce Greenwood, Rich Hutchman, Matt Craven
Cotação: * * * *